segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Sou um tresloucado


Sou um tresloucado à procura de sossego,
um pária errante em cata duma pátria
que me traga no sossego a plenitude,
a harmonia própria duma pátria

longe de vulcões de pântanos e de lama,
comércio de almas e valores corrompidos,
longe da vacuidade da vanglória
e mais longe ainda do atropelo à dignidade,

mesmo dos que não sentem o atropelo
por desgraça de não saber ou não o querer,
tresloucados como eu vivendo a vida,

esta vida que não quero mas não desdenho
que a vida é fardo leve de quem tem
o mal de amar sem perda ou recompensa.

16 comentários:

gota de vidro disse...

Bem versejado....Mão de mestre e de profunda intensidade.

Gostei imenso

Boa semana

Beijito da Gota

Marina Fligueira disse...

¡Hola, Sr Vieira Calado!!!

Estoy de acuerdo totalmente con lo que expresan tan discretamente sus preciosos versos; y es que nos toca vivir en un mundo de aloucados/as como usted bien dice, y dice bien: En un mundo falto de valores, de sosiego, de caridad y de amor, donde la corrupción es el plato del día. Y la Dignidad no tiene los pies en la tierra no, anda perdida por los infiernos, si es que los hay.

Ha sido un placer leerle, gracias por estas letras bonitas y tan necesarias que dan para una reflexión.

Un abrazo, mi gratitud y toda mi estima.
Se muy muy feliz.

MARILENE disse...

A consciência nos faz ver e sentir, sem desistir. Belo! Bjs.

Vera Lúcia disse...

Olá Poeta,

Um belo poema de indignação, coroado pela valorização da vida, bem maior, apesar de tudo e de todos. Não desejar um tipo de vida não implica em desdenhá-la.

Abraço.

Andradarte disse...

Foi difícil chegar até aqui....Queria agradecer a sua presença no
Andradarte e dizer sim sou eu que faço...O de amanhã,é em coda-seca.
Um abraço

Maria Rodrigues disse...

Vamos errando pela vida atravessando momentos bons e outros menos bons, mas a vida, vale a pena ser vivida.
Lindo poema.
Beijinhos
Maria

Simone Felic disse...

Um tresloucado que sabe o que quer , disso que precisamos.
Abraço.

http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Fá menor disse...

Que a vida seja sempre fardo leve.
Bjs

Fá menor disse...

Que a vida seja sempre fardo leve.
Bjs

© Piedade Araújo Sol disse...

um soneto muito bem conseguido|
vamos errando e vivendo neste palco que é a vida!
boa semana.
beijinho
:)

Ana Simões disse...

Maravilhosa poesia. Estou consigo nesta "tresloucada " busca pela paz e dignidade por uma mundo melhor... Lindas palavras.

Majo disse...

~~~
Estamos todos precisando de sossego...

Um soneto muito belo, com uma chave surpreendente.

~~~ Abraço, Poeta. ~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Elisabete disse...

Pois, a vida não é fácil e exprimiu-o muito bem.
Bjs

tulipa disse...

Poeta Amigo

no dia em que a Humanidade for apenas Paz e Amor

Somos todos tresloucados à procura de algo
sossego seria bom
harmonia também...

MUITO OBRIGADO pela sua visita e belas palavras oferecidas.
Gostei muito.

De tanto lembrar me esqueço

e, várias vezes digo a mim mesma:
Tenho que visitar o BLOG do POETA

por isso, aqui estou.

Sabe que dia é Hoje?
Um "Olá" como forma de promover a paz?
Sim, é esta a verdadeira história por detrás do dia 21 de novembro,
data em que se assina-la o Dia Mundial do Olá.

Cumprimentemos-nos pois!!!

Bom fim semana. Tulipa .

Beijinho da Ester

Odete Ferreira disse...

Gosto muito de te ler. A ver se consigo vir ao teu espaço com alguma regularidade.
(Adorei os poemetos; de vez em quando, também escrevo poemetos...)
Bjo, amigo :)

Anete disse...

Um poema intenso!
Desejar o sossego e buscá-lo sempre com firmeza. Vale a pena e como vale!...
Abraço