quinta-feira, 16 de outubro de 2014

AS CORES DIZEM O TEMPO


As cores dizem o tempo,
o granizo que embranquece as arestas do granito,
o hortelã respirando pequenas flores de sabor a sul.

Ó a antiga sapiência das árvores
e dos caminhos
e da plenitude nas planícies de verdura!

Como não hei-de segredar o teu nome
ó bonina de incenso, em noites de paixão,
nos pântanos que parecem eternizar os teus segredos?

És o pólen e a cegueira
de espirais hipnóticas de paz e medo,
em águas nascentes de musgo e de frescura.

És a vertigem duns olhos feridos pelo orvalho
das manhãs, ao cair da tarde
e eu te invoco na busca dos limites
que fazem o fascínio, a vigília perturbada
do teu violoncelo tocando ao vento.

19 comentários:

Helena disse...

O tempo diz bem das cores, mas quando o poeta mergulha nas palavras e nos traz as cores gravadas no tempo, quase podemos sentir o vento passear nos sons de um violoncelo... Um belo poema!
Sorrisos e estrelas no teu caminhar,
Helena

DE-PROPOSITO disse...

As cores comunicam connosco !

Abraço
MANUEL

Zilani Célia disse...

OI VIEIRA CALADO!
OS POETAS, AO MERGULHAREM EM SEU PRÓPRIO UNIVERSO POÉTICO, CONSEGUEM VER, AS CORES, AS ÁRVORES, ENFIM, TODA A NATUREZA, DE UMA FORMA TODA ESPECIAL, SÓ DELES, COMO O FAZES AQUI.
PARABÉNS PELOS LINDOS VERSOS.
ABRÇS

http://zilanicelia.blogspot.com.br/

SOL da Esteva disse...

As cores revelam o tempo. O Poeta, revela as cores de acordo com a sua sensibilidade e sentimento.
Lindo.


Abraços


SOL

MARILENE disse...

Você nos ofereceu imagens, sons e cheiros, em versos. E penetramos nesse universo encantado, ao lê-los. Bjs.

Pérola disse...

Um entrelaçar de cores, palavras e emoções.

Poesia que deslumbra.

Beijinhos

helia disse...

Um belíssimo Poema !

Andrea Liette disse...

Que poema fecundo: gostava de respirar com as hortelãs, na frescura desses versos! Saudações, amigo poeta. Um abraço!

✿ chica disse...

As cores podem amarelecer , mostrar o tempo, mas tua poesia é linda a qualquer tempo. abraços,chica

São disse...

A sapiência das árvores e a solidez da pedra é algo que me toca.

Cordiais saudações :)

Angela Caboz disse...

um poema lindíssimo...gostei muito
os meus parabéns !!!!

Um abraço

Anónimo disse...

Tudo muda, as estações, as cores mas a tua poesia ganha cada vez mais beleza e eloquência. Belíssimos versos!
Um abraço

Nilson Barcelli disse...

Um poema brilhante, como sempre.
Abraço.

Edith Lobato disse...

Liricamente belo. Meus aplausos, não vi a opção para seguir-te. Linda noite.

lis disse...

Tempo das delicadas folhas ao vento Vieira
meu abraço

Rosa dos Ventos disse...

Os nativos do sul têm o privilégio de enxergar muito para além do mar!

Abraço

Bípede Implume disse...

Caro Poeta
Ainda não tinha visitado este novo lugar da tua sempre arrojada e sentida poesia.
Como sempre um local de culto.
Que bom voltar a ler-te.
Grande abraço.

cris braghetto disse...

As cores versadas em lindas palavras que representam os sentimentos do poeta.
Um abraço.

Ailime disse...

As cores dizem o tempo, mas a genialidade diz o poema!
Lindo, Grande Poeta!
Um beijinho e excelente dia.
Ailime