segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Flores do Outono


Agora vou reclinando o corpo
entre a terra e as estrelas.

 O espaço é breve
 para a brisa do mar
 que ainda soa.

E no entanto,
adormeço
no meu sonho,
sereno de harmonias
                         
incendiando o fino pó
da terra
com estas flores violetas
violentas,
exíguas, do outono.

12 comentários:

lino disse...

A caminho do inverno do nosso descontentamento!
Um abraço

Kalinka disse...

Amigo Poeta

muito obrigado pela presença nos meus blogues e pelo comentário que deixou...

Flores do Outono - belíssimo poema!

Está a começar a estação do ano que mais adoro.

Peço desculpas, há algum tempo que não vinha visitá-lo...

Neste último post mostrei as famosas festas da Moita,
vêem autocarros do Algarve cheios, com pessoas para as visitar.
A tradicional "Tarde do Fogareiro"
há anos que não ia, este ano voltei a sentir aquele magnífico ambiente

Beijinho da Tulipa.
Volte sempre!

Arco-Íris de Frida disse...

É um poema bonito, de outono... agora chegou a primavera...o corpo reclinado se levanta, e tudo renasce...

helia disse...

Lindas são as flores violetas do Outono e lindo é este Poema !

Helena disse...

Enquanto adormeces no teu sonho sereno de harmonias e as exíguas flores violetas do Outono incendeiam o fino pó da terra nascem versos no reclinar do teu corpo entre a terra e as estrelas... Tão lindo o teu poema!
Daqui te mando um punhado de sorrisos brincando entre as estrelas, enfeitando um colorido ramalhete de flores que estão a vicejar por aqui, em todos os nossos jardins.
Helena

Maria Rodrigues disse...

É bom quando os nossos sonhos são de harmonia e paz.
Que todos os outonos sejam sempre tranquilos, quer os das estações do ano, quer os da vida.
Como sempre belissimo poema.
Beijinhos
Maria

Andrea Liette disse...

Quando o corpo se entrega à poesia,
adormece em leito de flores.
Saudações.
Andrea

Dorli Silva disse...

Boa noite escritor.
Você é o cara!
Beijos
Mundo dos Inocentes

Elisabete disse...

Pois, o outono está à porta.
Bom domingo, Poeta

Edumanes disse...

Escreve com as letras de alegria!
os mais lindos versos de amor
Vieira Calado, perfuma a poesia
com o perfume duma flor!

Vai o corpo reciclando,
neste Outono amarelado
para aqui vim caminhando
para agradecer a Vieira Calado
pelo comentário no meu blog,
lá deixa escrito, amigo abrigado!

Bom domingo, um abraço.
Eduardo.

Parapeito disse...

E que este Outono que agora começaseja tao belo quanto este Flores de Outono.
brisas doces **

Mariangela disse...

Que belo repouso sob as luzes das estrelas numa noite de outono!
Lindíssimo poema!
Obrigada pelo comentário em meu blog!
Boa noite e uma ótima semana!
Abraços,
Mariangela