quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

O MEU TEMPO


Não vou dizer-te os meus pensamentos íntimos
não quero convencer-te do que é inútil e vão
para a história impreterível das eras,
o redundante levado pelo fio dos séculos
direito a um céu velho de estrelas

porque o meu tempo é o que corre nas minhas veias
e só a mim pertence,
porque é apenas infinitivamente meu
o novelo de pó que a areia reorganiza
na geografia dum deserto,
a harmonia própria do meu próprio deserto.

em "AS NOITES E OS DIAS", Ed. Litoral, 2014

25 comentários:

Laura Santos disse...

Um poema sobre o íntimo tempo de cada um. Algo que para os outros pode ser um deserto, mas que é apenas o lado desconhecido de todos nós, o lado dos nossos pensamentos e sentimentos profundos. Com uma harmonia e um fio condutor que os outros nunca conhecerão.
Muito belo.
xx

lino disse...

Quase todos temos o nosso próprio deserto!
Abraço forte

Filha do Rei disse...

Temos o nosso tempo e devemos utilizá-lo da melhor maneira possível, mas, como dizes com maestria em teu poema: é meu tempo. Tenha lindos dias. Bjs

Tais Luso disse...

Cada um de nós é único nas suas tristezas, alegrias, reflexões, esperanças, sonhos... Cada um tem suas regras e isso deve ser respeitado.
Gostei muito!
Beijos.

EU disse...

Na verdade o tempo é vivenciado/sentido por cada um de forma única. E ele, com as suas lacaias, as circunstâncias, fazem de cada um de nós um ser inclonável. Por conseguinte, cada um terá de viver o seu caminho.
Gostei imenso, Vieira Calado (tenho uma preferência e reverência pelo tempo...)
Bjo :)

alfacinha disse...

Escrever poemas é a forma mais pura para se exprimir na língua. Não consigo,fico um estudante eterno.

Cumprimentos de Antuérpia

Bípede Implume disse...

Caro Poeta
Um belo poema que é também um hino à liberdade individual. Muito belo.
Grande abraço.

vendedor de ilusão disse...

Exaltaste com propriedade teus íntimos sentimentos... Gostei do poema!

Elyane Lacerdda disse...

São sentimentos, poema lindo mesmo!
Mas precisamos nos libertar e voar como as águias sempre, não podemos nos apagar, pois tudo é passageiro!
Bjus
http://www.elianedelacerda.com

helia disse...

Os nossos Pensamentos íntimos é para ficarem connosco ! Lindo este Poema !
Feliz 2015 com muita Paz e Alegria e muita Poesia !

Pérola disse...

A vida em poesia.

Bom fim de semana, caro Vieira Calado.

Beijo

Isy disse...

Lindas palavras...

Bjxxx

manuela barroso disse...

Tempo e deserto. Variáveis na ampulheta da vida .
Saudações poéticas, VC

Elisabete disse...

Um lindo poema sobre as vivências pessoais ao longo do tempo.
Boa semana, Poeta!

Marina Fligueira disse...

¡Hola Vieira Calado!!!

Claro está que cada cual es dueño de su vida y de su tiempo, se uno quiere expresarlo compartiendo los sentimientos con otras personas, pues me parece que no es malo, pero todo depende de la forma de pensar que tenemos cada ser humano que es un mundo sin descubrir.

Ha sido un placer pasar por tu casa y leerte.
Te dejo mi gratitud y mi estima.
Un beso y feliz semana.

Andrea Liette disse...

É um lindo poema, no entanto , extremamente solitário!
Abraços e saudações.

SOL da Esteva disse...

O tempo é a vivência que se tem. Qualquer aferição por outra "medida" tende a errar no resultado.
Gostei da apreciação do teu próprio tempo.


Abraços



SOL

Bandys disse...

Nosso proprio deserto é um labirinto
que devemos explorar.
Belo poema

Vanuza Pantaleão disse...

Cada um tem o seu próprio tempo, cada um é responsável pelos seus sentimentos e o que vai no íntimo do seu ser. Amo seus poemas! Aliás, todos os amamos!
Boa semana, amigo!Bjsss

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Um abraço

Eduardo Aleixo disse...

"o novelo de pó que a areia reorganiza
na geografia dum deserto,
a harmonia própria do meu próprio deserto."
É lindo. Est ecasamento do eu íntimo do poeta e do ser
com o ser infinito do tempo,
aberto, solitário, mas não deserto...
Abraço.

Luma Rosa disse...

Oi, Vieira!
Essa tinta que invade todo o corpo e enxerida borra o coração faz brotar trêmulas emoções: São elas as medidas do tempo.
Por certo "o meu tempo é o que corre nas minhas veias"
Beijus,

Ailime disse...

Boa noite Genial Poeta!
Que dizer?
A sua magnifica poesia que lhe perfura os poros, filtrada da alma!
Sublime!
Beijinhos,
Ailime

Lita Duarte do Brasil disse...

E há sempre muita vida no deserto.

Bjs.

Lita Duarte do Brasil disse...

E há sempre muita vida no deserto.

Bjs.