terça-feira, 4 de novembro de 2014

POEMA EM NOVEMBRO


No sem regresso das formas,
amarela lanceolada folha
sobre a terra.

Como a luz,
desnuda
o brilho opaco da nervura

enquanto a cinza
que desenha
se deslumbra.

22 comentários:

mmm´s disse...

Um cinza que pinta novembro...

Andreia Morais disse...

Muito bonito!

r: Se chegar a ter oportunidade de ler, aconselho.
Obrigada por visitar e comentar o meu blog, volte quando quiser*

Marina Fligueira disse...

¡Hola, Viera!!!

Lo poco es dos veces bello; y tu poema es exquisito, aún abrazando la melancolía de las hojas ocres y la luz desnuda.
Te dejo mi felicitación y mi estima.
Un abrazo y se muy muy feliz.

São disse...

Eis Novembro em poema...

Bom fim de dia :)

Rosa Carioca disse...

Obrigada pela visita e pelas palavras.
Como sou uma amante de poesia (não sou crítica), voltarei mais vezes.

Ailime disse...

Boa noite Grandel Poeta,
Como sempre genial!
Novembro um mês que resgatamos às cinzas!
Um beijinho.
Ailime

Vanessa Palombo disse...

Gostei muito!

Abçs

Vera Lúcia disse...

Olá caro poeta,

Poema perfeito, lindo e, além de tudo, numa construção encantadora.
Amei ler.

Abraço.

ॐ Shirley ॐ disse...

Fim do brilho da folha que agora agoniza ...
Gostei, AC.
Beijo!

Maria Fonseca disse...

Olá caro poeta,

Belo o seu Poema em Novembro!!! Também gosto do Outono pelo clima e pela variante colorida. Agradeço o comentário no meu blogue.

Abraço

Evanir disse...

Boa Noite Amigo e Grande Poeta.
Um poema pequeno de uma grandeza gigante ,
folhas secas , que dos ramos caem enfeita
a paisagem num tom cinza azulado.
Quanta diferença entre duas Pátrias .
Aqui e logo a primavera se vai chegando o verão
quente demais.
Logo ai chegara o inverno nada parecido com o do Brasil.
Poeta . acredito , que ai chega a nevar no inverno
sempre soube , que na Europa frio é de gelar,..
Abraços parabéns por mais esse belíssimo poema.
Abraços.
Evanir.

Hermínia Nadais disse...

Belíssimo poema e repleto de sentido! Aliás, gosto imenso da sua poesia! Cada pessoa é única e irrepetível em tudo, também na poesia! Obrigada por ser como é! Abraço

Ana Bailune disse...

Gostei sim, amei!

Brisa disse...

Passei por aqui para conhecer teu blog...muito original...
Novembro...das cores quentes do Outono

Abraço

Jaime A. disse...

À luz ilumina este poema.
Obrigado pela partilha.
Um grande abraço outonal.

Labirinto de Emoções disse...

É a chegada do Outono com as suas tonalidades e um convite à meditação.
Um abraço
Teresa

lis disse...

Novembro que se descortina para mais um tempo a passar.
Outono Primavera _ geografias diferentes, quereres iguais,
Bonito poeta.
* esta morando no Brasil ? seu endereço do blog consta com.br.

Mariazita disse...

Boa noite, Calado
Não posso dizer que gosto muito de Novembro... na medida em que não gosto do Inverno, que se aproxima a passos largos...
Mas gosto do poema com que nos presenteia.

Bom fim de semana.
Beijinhos
Mariazita

Célia sousa disse...

E assim começa o outono !
com suas cores quentes...
como que um chamamento...

Bela poesia.

Saudações amigas.

SOL da Esteva disse...

Bom, Amigo, eis a plenitude do reino do frio e do cair da folha.
Gostei.


Abraços


SOL

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Um abraço

lidacoelho disse...

Novembro cantado por ti fica mais cinzento dentro das cores que me vestem a alma.
Foi bom ter a tua visita e poder vir até aqui.
Preciso destas cores para me abrigar das dores.