segunda-feira, 24 de novembro de 2014

O edifício das palavras



O edifício das palavras,
o projecto inerente à ideia
e aos degraus da leitura

o processo linear dos sons
e dos afectos

um pouco de embriagues
ao questionar as sombras e a luz

eis a explosão programada
do poema

o agitar dos mistérios
no desassossego e na emoção
de dizer o indizível

à luz do dia.

13 comentários:

Isy disse...

Uma verdadeira ode à capacidade de criação! Lindo!

Bjxxx

lino disse...

Sejamos claros: digamos o indizível!
Abraço

Laura Santos disse...

Dizer o indizível à luz do dia é a coisa mais difícil que existe.
Este poema expõe esse desejo. De forma perfeita.
xx

cris braghetto disse...

Para nós leitores é um grande prazer apreciar as belas obras dos grandes arquitetos das palavras.
Bela obra Poeta!
Abraços

Maria Rodrigues disse...

Através das palavras divagamos em mundos de emoções, de sonhos, de alegrias e tristezas.
Obrigado por este belissimo edifico de palavras.
Beijinhos
Maria

Silenciosamente ouvindo... disse...

Nem sei como seria o mundo se não houvesse palavras!!!
Poderíamos exprimir-nos através dos gestos, mas não
seria o mesmo. A poesia precisa das palavras e este
poema retrata bem.
Desejo que se encontre bem.
Bj.
Irene Alves

Zilani Célia disse...

OI VIEIRA CALADO!
QUE LINDO ISSO, SABER-SE QUE ATRAVÉS DA POESIA, O POETA PODE DIZER O INDIZÍVEL E A LUZ DO DIA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Helena disse...

Muitos dos poemas que se deixam nascer à luz do dia foram, com certeza, concebidos no adormecer da noite!

Célia sousa disse...

A minha homenagem ao seu poema !

O edifício tem de ser completo...
para assim Haver sons ! daí as palavras...
e em todas elas, haverá , afetos, emoções, embriaguez de sonhos...
para assim haver POESIA !

Saudações amistosas
Célia Sousa.

Fê blue bird disse...

Um edifício sólido e belo como as suas palavras.


beijinho e bom fim de semana

Maré Viva disse...

Só um poeta é capaz de nos dizer o indizível!
Um beijo.

Elisabete disse...

A palavra é poderosa, o alicerce das nossas vidas.
Um abraço.

sonia a. mascaro disse...

Uma bela poesia!
Concordo com Maré Viva, só um poeta, um artista pode nos transmitir o indizível.
Abraço.