terça-feira, 11 de julho de 2017

O vento não pára


O vento não pára.

Nem param as ondulações do tempo,
a assimetria luminosa
das cores.

A vida corre ao sabor destas divagações
da água,
em redemoinhos dum vento 
que vem de longe,
doutros sismos da Terra
- a ciência fulgurante do Sol.

Nós
apenas partilhamos o lenho cósmico,
melódico reflexo dos seus acordes
e do acaso. 

O ocaso.
Enviar um comentário