quarta-feira, 26 de setembro de 2018

O NOSSO PALCO


O ofício das palavras é uma cerejeira de séculos
um cristal que experimenta os magmas da terra
a pressão dos fluidos, o debate léxico dos óxidos,
na obstinada austera metamorfose das seivas.

É uma frágil representação da apetência
para respirar os ritmos interiores do corpo
em seus murmúrios de floresta eflorescente,
seus rios insaciáveis arrastando as margens.

A fogueira das palavras é um destino instante
de plantar árvores de frutos exóticos
à beira do chão mortificante, redondo
e é um exercício tão urgente como o corpo
na sua paixão íntima pelo delírio intenso
de presenciar a transfiguração da claridade.

Sem comentários: