quinta-feira, 29 de setembro de 2016

O REGRESSO


A passagem das horas
o perpassar dos dias
o lento fervilhar do tempo em seus artifícios
de claridade e sombras

trazem-nos a este lugar preciso
de quietude
em ondulações de silêncio e apaziguamento.

É aqui
onde deveremos aprender
os festejos da luz
a sombra do pecado original
dos fascínios
pelo regresso urgente

a nossa casa.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

JUNTO AO MAR


Junto ao mar, nesta baía suave de azul cobalto,
deixo-me envolver nos confins do pensamento,
o recorte do céu, a expressão mais nua do chão

e contemplo a narrativa das areias desta praia,
a voz antiga que desfez a pedra dos montes
no tumulto das grandes impiedosas chuvas.

O meu arrebatamento é a história que leio
nos veios engendrados pelo refluxo da maré,
as algas deixadas junto ao limite das águas

a própria índole maiúscula dos grãos de areia
que jazem ao sabor da vastidão dos abismos
traçados nos penhasco descidos da montanha.



sexta-feira, 2 de setembro de 2016

O DESTINO DA LUZ


Não é senão a vida
o destino supremo da luz.

Por isso o incansável coração procura as suas origens
o seu âmago
a madrugada dos sonhos

o brilho duns olhos
que emudece a clarividência
do que se vê nas sombras.

Por isso a tua vida
só vale pelo tempo da tua vida

só vale pela canseira da tua incessante busca
na luz que inundou teus olhos

com o esplendor que leste
de menino

num grão de trigo.